Por admin

/ Em Dados e Análises /

Postado em

out 13, 2016

Como o Power BI Democratizou a Tomada de Decisões

Com o avanço das novas tecnologias, só não se atualiza quem não quer. E digo isso porque nem tudo tem um custo alto de investimento e é possível dar uma reviravolta na vida e nos negócios. Desde aspectos pessoais a profissionais – que é o que vamos tratar aqui – há uma infinidade de possibilidades disponíveis no mercado que facilitam o dia a dia.

Hoje vou falar sobre a tomada de decisões e como esse processo, difícil por natureza, foi visualmente facilitado pelos dashboards de uma ferramenta desenvolvida pela Microsoft há pouco mais de um ano. Além disso, reduziu pela metade o tempo gasto pela equipe de TI alimentando e gerando relatórios, garantindo assim que ela dedique o restante dessas horas com outras demandas.

Se você ainda não conhece o Power BI, ele é basicamente uma plataforma que transforma os dados da sua empresa em visuais avançados para você coletar e organizar. Assim, você pode se concentrar no que realmente importa, sem aquele monte de números e planilhas nada práticas, que por vezes, por um mero erro de interpretação ou falta de clareza, pode gerar dados até mesmo pessimistas com relação ao futuro do negócio.

 

Falando em democracia…

Fazendo uma analogia à política e à democracia, tão à flor da pele nas discussões de hoje no Brasil, a democratização do BI hoje possibilita que mais empresas (sejam elas pequenas, médias ou grandes) possam desfrutar dos benefícios da análise de dados. Segundo o Gartner, em 2016 a receita global do mercado de Business Intelligence e Data Analytics atingirá mais de 16 bilhões de dólares. Isso significa um aumento de 5,2% em relação a 2015.

Assim, podemos dizer que os dashboards do Power BI democratizaram o acesso a análise de dados a empresas de todos os portes, e também a qualquer área, descentralizando esse poder das mãos da TI.

No passado, o time de tecnologia era o detentor de toda informação. Até então, todos os usuários necessitavam da disponibilidade dessa equipe para que o relatório ficasse da maneira mais simples e amigável possível. Mas afinal, quem melhor do que o próprio usuário para entender qual a melhor maneira de visualizar uma informação gerencial?

Por isso, o Power BI foi concebido para ser uma ferramenta self-service. Ou seja, o próprio usuário pode criar seus painéis de visualização. O que inclusive, como comentei na introdução, permitiu que um projeto de Business Intelligence tenha seu tempo de entrega reduzido em até 50%.

 

Autonomia e revolução visual em poucos cliques 

A ferramenta desenvolvida pela Microsoft tem visuais pré-definidos e visualizações personalizadas. Assim, o usuário tem autonomia total. É possível criar relatórios que comunicam mensagens com eficiência e segurança – o que é imprescindível se você é um gestor, que toma decisões com base em dados, ou um analista de dados que entrega relatórios à sua organização.

Outra vantagem do Power BI é que ela possui uma configuração que permite a atualização automática dos dados. Assim, todos do time tem acesso às informações mais recentes, oferecendo uma visão de 360 graus para os usuários corporativos às suas métricas mais importantes – e que podem ser acessadas de diversos dispositivos.

Sim! O Power BI pode unificar todos os dados de sua organização, estando na nuvem ou localmente. Você ainda pode conectar os bancos de dados SQL Server, modelos do Analysis Services e outras fontes de dados aos mesmos painéis. Ou ainda, incorporar relatórios e painéis a portais de relatório ou aplicativos próprios.

Com uma consultoria especializada, você pode otimizar ainda mais o potencial dessa ferramenta, especialmente se o core da sua empresa não for TI.

Bom, esses foram os principais aspectos que achei relevantes trazer e que permitiram essa “democratização” na tomada de decisões. O que você achou? Já conhecia o Power BI? Pretende usar no seu negócio ou já utiliza? Deixe sua opinião aqui nos comentários!

1

1 comentário em “Como o Power BI Democratizou a Tomada de Decisões”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *