Por Marcos Oliveira

/ Em Gerenciamento de Projetos /

Postado em

dez 18, 2017

Princípios Cobit 5: Estrutura Única e Integrada e a Abordagem Holística

Dando continuidade aos benefícios da implantação do Cobit 5, os princípios 3 e 4 (Aplicação de uma Estrutura Única e Integrada e a Abordagem Holística) vem com princípios de uma estrutura alinhada com normas recentes e relevantes cobrindo a empresa como um todo, além de fornecer base à integração com outras estruturas, integrar os conhecimentos dispersos de outros frameworks fornecendo assim, uma estrutura aos documentos de orientações para formação dos produtos.

principios do cobit 5

Figura 1 – Modelo Integrador do Cobit 5

principios cobit 5

Figura 2 – Integração das normas existentes

E isso é tangível de ser alcançado quando se possui os facilitadores que apoiam, implementam e trazem uma abordagem que compreende os fenômenos na sua totalidade e globalidade, ou seja, holística (do grego holos que significa “todo” ou “inteiro”) para a Governança e Gestão de TI em uma empresa, para agregar valor às diretrizes de negócio.

Os facilitadores no COBIT 5 são definidos como:

  • Fatores que, individual e coletivamente, influenciam se algo vai funcionar. Eles podem ser:
    • Princípios, políticas e estruturas;
    • Estruturas organizacionais;
    • Cultura, ética e comportamento;
    • Informação;
    • Serviços, infraestrutura e aplicativos;
    • Pessoas, habilidades e competências;
  • E são motivados pelos objetivos em cascata definidos lá no Princípio 1 do Cobit 5 – Entregando valor às partes Interessadas.

Todos os facilitadores têm um conjunto de dimensões dos quais:

  • Fornecem uma forma comum, simples e estruturada para lidar com facilitadores;
  • Permitem que uma entidade possa gerir suas complexas interações;
  • Facilitam o atingimento de resultados positivos aos facilitadores.

principios do cobit 5

Figura 3 – Dimensões do facilitador

Portanto, possuir o domínio dessas metodologias, trazem um grande benefício para as empresas, principalmente ao se falar na base para agir e quais são os elementos responsáveis para aplicação das definições iniciais, no momento de desenvolvimento das Cascata de Objetivos do Cobit 5.

0
Marcos Oliveira

Autor: Marcos Oliveira

Profissional com 7 anos de experiência em TI focado na supervisão ao Suporte Técnico, Monitoramento de Segurança e criação de fluxos de processos com qualidade baseados nos principais frameworks conhecidos no mercado no que tange a entrega de serviços e projetos de Tecnologia da Informação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *