Por Giulia Reis

/ Em Segurança da Informação /

Postado em

jul 02, 2020

Quais são os impactos do 5G na segurança cibernética?

Conhecida como a quinta geração de conectividade móvel, o 5G é uma nova tecnologia que tem sido muito comentada por sua alta velocidade, menor latência e a capacidade de conectar praticamente tudo e todos, como máquinas, objetos e dispositivos ao mesmo tempo.

Atualmente o 4G já proporciona rapidez e qualidade apropriadas para as utilizações essenciais do dia a dia, porém com a quinta geração serão fornecidas possibilidades com confiabilidades totalmente novas. O 5G já está sendo aplicado em outros países e tem apresentado ser mais eficiente do que a geração anterior.

Por mais empolgante que seja a ideia de uma nova tecnologia que possibilite ultra rapidez e maior capacidade de processamento de dados, automaticamente teremos um aumento no número de conexões que podem trazer novos riscos à segurança, como o aumento nas tentativas de invasões, ataques maliciosos sofisticados, fraudes, entre outros.

Caso você esteja interessado em obter essa nova tecnologia é preciso criar um plano de segurança contra possíveis riscos relacionados ao 5G no início da sua implementação, pois o 5G herdará as falhas de segurança e configurações incorretas existentes na geração anterior, o 4G.

Empresas precisam estar preparadas para superar essas vulnerabilidades e evitar futuras perdas e violações de privacidade. A expectativa é de que o 5G impulsione todas as outras tecnologias: IoT, IoT industrial (IIoT), serviços em nuvem, virtualização de rede e computação de borda, que preveem a multiplicação de complicações de segurança dos terminais.

O 5G promete garantir a segurança por meio da autenticação, criptografia e ID dos dispositivos, mas se olharmos por outro lado as vantagens também se tornam riscos para a segurança dos usuários. Com a decodificação do mapeamento de rede móvel (MNmap), muitos invasores podem criar mapas de dispositivos conectados à rede, identificá-los e vinculá-los a uma pessoa específica. Além de ataques que permitem que cibercriminosos roubem informações confidenciais antes mesmo do sistema de segurança ser aplicado, como o ataque Man-in-the-middle (MiTM). Os ataques de DDoS também irão se tornar mais comuns por permitirem que pessoas mal-intencionadas assumam o controle dos sistemas pela ampla adoção do 5G.

O cenário não deve ser alarmante para empresas que desejam essa nova tecnologia, mas é importante eliminar essas vulnerabilidades para evitar futuros desastres. A segurança deverá ser prioridade de muitas organizações e é uma etapa fundamental para o sucesso da aplicação da nova tecnologia. Sendo assim, a criação de estratégias servirá para as empresas aproveitarem os benefícios do 5G sem precisarem abrir mão da segurança do seu negócio.

5G no Brasil

O Brasil ainda não possui a implementação do 5G até o momento, tudo depende do leilão que irá ser realizado pela Anatel e as organizações interessadas na nova tecnologia. O leilão é esperado ainda para o ano de 2020, mas sua aplicação pode ser afetada devido à situação atual do mundo, o COVID-19.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *